quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O Palhaço chorou.

 
Ah que felicidade, o circo chegou, mas onde está o palhaço que eu tanto esperei? Então quando menos esperava ele entrou em cena, aiiii...que alegria ele chegou, gritos, brincadeiras, cambalhotas, esse é o meu mundo nuca vou sair dele, sempre estarei na platéia para te aplaudir, com você palhaço conheci a felicidade, ebaaaa!! ele é o meu palhaço.
Então um dia eu não fui te aplaudir, desculpas se eu te esqueci é que eu cresci.
O palhaço? Ah ele por detrás da máscara e escondido sorrindo chorou, afinal o show tem que continuar.
Abimael Alves
                           Quebrando Pedras e Plantando Flores.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Tudo tem seu preço.



Quando se é criança é mais fácil acreditar e confiar em tudo que ouvimos, todas as promessas que nos são feitas cremos que serão cumpridas, todas as palavras acreditamos que são verdadeiras.

Mas o tempo nos obriga a crescer, a vida trás experiências, os anos nos empurram para a maturidade, e tudo isso nos joga num posso de dúvidas, todo esse crescimento nos arranca a força do “jardim da inocência” e nos transporta para a terra das incertezas.

O crescimento nos faz auto-suficientes, as experiências do passado fecha as portas para as coisas novas do presente e do futuro, a maturidade nos tira do colo da ousadia, a dúvida rouba as oportunidades.

Agora crescemos, temos experiências, somos pessoas maduras e auto-suficientes.

Mas o preço que pagamos por tudo isso foi muito caro, a vida nos cobrou o preço da alegria de acreditar em quem se ama, pois acreditávamos que quem ama só deseja o bem e nunca o mal, a vida nos cobrou o preço da confiança, pois confiávamos que quem nós amamos e também nos ama nunca vai embora, porque quem ama suporta tudo sem nunca nem pensar em ir embora,  a vida nos cobrou o preço de acreditar incondicionalmente nas palavras e promessas feitas a nós pelos lábios daqueles que ao nosso lado caminham, pois criamos que quem anda ao nosso é amigo fiel.
A vida nos cobrou um preço muito caro, ela cobrou o preço de vivermos fora do “Jardim da Inocência” e isso é muito caro.
Ah que saudade...
_Abimael Alves.
                             Quebrando Pedras e Plantando Flores.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Só aprendi a amar assim.

 
Falar bonito, exortar as pessoas a terem um comportamento exemplar, cobrar santidade, questionar atitudes de quem está acima ou abaixo de nós.
Tudo isso todos sabem fazer em horas boas, quando estão por cima, dizem que é assim que deve ser feito, e alguns ainda mais ousados afirmam vivem e é assim que vive.
Vamos ver se o discurso continua assim tão bonito quando as coisas mudarem, quando o sol não aparecer, quando a tempestade chega
r, quando a solidão bater na porta, quando vier a saudade, quando restarem só a esperança e os olhos já não alcançarem mais, quando a dor já for insuportavel e não tiver ninguém para acalma-lá, quando o desespero tomar conta e não houver ninguém pra dizer; Vai dar tudo certo.
Então vamos ver se da pra continuar encima do pedestal ou se vamos nos encontrar na esquina da humildade desejando ardentemente encontrar o caminho da misericórdia e deitar na rede do perdão.
Assim como o sabor e o aroma do chá só é conhecido quando o sache é colocado na água quente, assim o caráter de muitos só se conhece quando estão sobre pressão.
Mas mesmo assim eu estarei aqui, não sei amar de outro jeito, nem em outro tempo, nem em outro lugar, por isso sempre me encontrará aqui.

Abimael Alves

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Pés sujos de lama e mãos manchadas de sangue.



_Abimael Alves.

Tão importante quanto o desejo de prosseguir é saber ao certo aonde se quer chegar, e mais, é preciso saber em que condições se quer alcançar o alvo.
Caminhar às vezes não é tão importante como conhecer o destino.
Chegar perde muito do seu valor se os métodos usados não puderem ser aplaudidos.
O ativismo exacerbado nos impulsiona da fazer a querer a avançar a qualquer custo, e não nos alerta que chegar sem honra é o mesmo que não chegar.
Alguém disse: Não jogue espinhos na estrada... na volta, você pode estar de pés descalços. Podemos julgá-la apenas como mais uma frase de efeito, mas Oxalá realmente fizesse efeito em nós.
Quem alcança o alvo, mas deixa rastro de mentira, de falsidade, engano, egoísmo e ingratidão, na verdade não avançou um centímetro se quer na verdade desceu ao fundo do posso.
Se os pés estão sujos de lama e as mãos manchadas de sangue e coração inundado de ódio, então é preciso continuar caminhando, mas para frente é preciso voltar para se limpar, e ai sim prosseguir com honra, sabendo para onde vai e em que condições ira chegar, sendo assim merecedor da coroa de glória.
“Tenho, porém, contra ti que deixastes a tua primeira caridade. LEMBRA-TE, POIS, DE ONDE CAÍSTE, E ARREPENDE-TE, E PRATICA AS PRIMEIRAS OBRAS...Ap.2.

A Ele toda honra e toda glória.

                            Quebrando Pedras e Plantando Flores.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Introspecção.



AS VEZES O QUE MAIS COBRAMOS NOS OUTROS É O QUE MAIS FALTA EM NÓS.

Cobramos amor, mas não temos.
Cobramos atenção, mas não damos.

Cobramos humildade, mas não somos.
Cobramos perdão, mas não sabemos.
Cobramos gratidão, mas não reconhecemos.
Cobramos respeito, mas desconhecemos.
Cobramos atitudes, mas não nos mexemos.
Cobramos que olhem para dentro de sí, mas só olhamos para fora.

Pensando nisso podemos solucionar grande parte dos nossos "problemas",
assim descobriremos que estão em nós e não nos outros, quando estamos
ocupados cobrando e culpando outros por nossa infelicidade, não temos
tempo para olhar nossas culpas e defeitos, algumas pessoas usam a
cobrança como um escudo para esconder quem verdadeiramente são.
Quem é, não precisa de outros para demonstrarem quem são realmente
elas fazem, pensam e vivem independetemente do mundo que as rodeiam.
Isso foi o que Jesus quis dizer quando falor sobre ser SAL na terra, sal não
faz cobranças ele salga e fim, mas sem nunca tirar o sabor dos outros temperos.
Disse Rui Babosa: QUEM QUER ARRUMA UM JEITO QUEM NÃO QUER ARRUMA UMA DESCULPA.
_Abimael Alves.
                            Quebrando Pedras e Plantando Flores.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A pior prisão não tem grades.


Quando olhamos e não vemos nada que nos impeça de prosseguir, quando não vemos barreiras nem muros nem grades, logo temos a sensação de liberdade a convicção que somos livres.
Mas infelizmente isso não é toda a verdade, as maiores prisões não possuem grades, não tem muros, nem tão pouco guardas de vigia, elas são limitadas por pensamentos e atitudes, são eles que nos fazem sair ou ficar.
Livre na verdade é aquele que não está diante de grades, mas o que não se deixa aprisionar por situações ou sentimentos.
Livre é a pessoa que perdeu, mas não desistiu de continuar tentando, livre é o que sofreu uma decepção amorosa, mas não desistiu de encontrar um amor ainda melhor, livre é o que foi traído, mas não desistiu de acreditar em pessoas, livre é a pessoa que caiu dezenas de vezes, mas nunca ficou presa ao chão, livre é o que sonha com um futuro bom, sem se deixar ser prisioneiro do passado.
Ser prisioneiro de uma prisão sem grades é como estar um labirinto, sabe-se por onde entrou, mas não conhece a saída.
O caminho que leva a porta de saída tem placas com as seguintes indicações: Esperança de um futuro bom. Coragem para dar o primeiro passo rumo a um futuro bom. Determinação para continuar prosseguindo em meio às adversidades em busca de um futuro bom. Fé que o melhor de Deus ainda esta por vir, e trará um futuro bom.
                                        Quebrando Pedras e Plantando Flores.

O que carregamos em nossas mãos?



Texto para meditação. João 8.

As mãos que carregam flores são as mesmas que atiram pedras, a escolha do que levar em nossas mãos não cabe a ninguém a não ser a nós mesmos.

Uma mulher pega no seu erro foi levada por “guardiões da lei” até Jesus para que a julgasse, Jesus disse apenas que qualquer um daqueles que ali estavam que não tivesse qualquer pecado que atirasse a primeira pedra, então se começou a ouvir o barulho das pedras que se soltavam das mãos de cada um e caiam ao chão.

Com isso pode se perceber que eles não tinham qualquer intenção de absolvê-la, não havia qualquer sentimento de misericórdia, não havia intenção de vela voltando para casa tentando um recomeço as pedras nas mãos já demonstravam qual seria a sentença, as pedras nas mãos revelava o que havia no coração de cada um.

Para a surpresa de todos Jesus não tinha pedras nas mãos, Ele tinha flores, por isso suas palavras foram: Nem eu te condeno, vá-te e não peques mais.

Assim como as pedras deixam as marcas nãos mãos de quem as carregou, assim também as flores deixam o perfume de quem às segurou.

 A Deus toda honra e toda glória.
                        Quebrando pedras e plantando flores.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O sol espalha a chuva reúne



Deus na sua perfeição fez tudo extremamente correto, entre tudo que ele fez e criou o tempo e dentro do tempo fases, que por sua vez são donas de pedaços do tempo.

Ninguém foge do tempo, ninguém consegue vive sem contar o tempo, seja ele em séculos, anos, meses, semanas, dias, horas, minutos ou segundos, todos somos prisioneiros do tempo.

E Deus usa o tempo e suas fazes para burilar em nós, e nos fazer viver coisas novas, fazes que catalogamos como boas outras nem tão boas assim.

O tempo em que o sol está brilhando é muitas vezes o tempo em que mais nos espalhamos, são tempos bons, tempos de paz, alegria, bonança. Esse tempo costuma tornar um pouco egoístas, auto-suficientes, independentes.

Mas assim como há a faze do sol há também a temporada da chuva.
Temporada da chuva é tempo de dificuldades, tempo de luta, batalha, tempo de buscar proteção, ajuda, tempo de frio, tempo de dificuldade para enxergar com clareza. Nesse tempo nos tornamos mais humildes, mais tolerantes, mais dependentes e necessitados, mais humanos, esse tempo costuma nos ajuntar.

Nem o tempo de sol nem o tempo da chuva duram para sempre, todos passam, o que fica são as lições experiências e as lições que aprendemos com ambos.

_Abimael Alves.
Quebrando Pedras e Plantando Flores.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Quanto vale a dor de uma saudade?



Constantemente, se senti saudade das coisas que por um motivo ou outro foi perdida, mas a questão é; Vale apena  querer  e lutar para ter de volta? Já doeu uma vez.

Até onde insistir é coragem, e desistir covardia?
Como saber se  o que se sente falta, se perdeu ou foi retirado ou apenas  partiu porque desejou?

A saudade é um sentimento sem razão, ela simplesmente quer de volta sem levar em conta a dor que já doeu uma vez.

Às vezes na desistência de correr atrás, nasce à esperança que aquilo que se tem como perdido, simplesmente reapareça, não porque alguém foi buscar, mas porque desejou voltar, talvez assim a dor que já doeu uma vez nunca mais doa novamente.

Quebrando Pedras e Plantando Flores.


Cantai ao Senhor um cântico novo. ( Salmo 96)




O que pode ser feito hoje que tenha o poder de mudar o dia de ontem?
A resposta é; Simplesmente nada.

Lamentação, choro, ódio, vingança, nada disso terá qualquer efeito nos atos de ontem.
O presente não trabalha com o passado, assim como o passado não conhece nada a respeito do futuro.

Colocar um cântico novo em nossos lábios, significa que se esta aberto a mudanças, significa que se deseja desapegar do passado e conquistar novos horizontes,

Cantar um cântico novo pode não significar a cura das feridas do passado, mas que não se deseja morrer delas.

Um cântico novo anuncia um novo momento, um novo tempo, a cada dia que Deus nos concede de vida é como se ele estivesse cantando um cântico novo, e como se ele cantarolasse no ouvido de cada um dos seus filhos, “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer”.

Coloque um cântico novo nos seus lábios agora, pois “VAI AMANHECER”.

A Deus toda honra e toda gloria.
Quebrando Pedras e Plantando Flores.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A INGRATIDÃO É FILHA DO PECADO.



“E respondendo Jesus, disse; Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?
Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?
Texto para meditação. Lucas 17.11-19.

A ingratidão é uma das maiores males da humanidade, desde o Gênesis, é possível ver o homem cultivando a ingratidão.

O ingrato é egoísta, presunçoso, e de memória curta, pois ele tem em si que tudo que é feito em seu favor é feito por causa do seu merecimento ou que quem o fez, fez por ter obrigação para consigo mesmo.

A ingratidão faz com que o favorecido esqueça tudo que foi feito em seu favor, ele esquece quem estendeu as mãos quando estava caído, quem o abraço quando ele estava só, quem o acolheu quando todos os abandonaram, quem o valorizou quando todos os desprezaram, quem ficou quando todos foram embora, quem o amou quando todos o odiavam.

A única vez que vemos Jesus cobrando algo de alguém, foi quando ele cobrou gratidão dos outros nove que também haviam sido curados, mas não voltaram para agradecer.

De nada vai adiantar cumprir todas as regras religiosas, de nada vai adiantar mudar de lugar ou de companhias, mostrar-se feliz, prestativo e companheiro, se no final alguém tiver que perguntar e (___seu nome___)  também não foi alvo de favores? Ele (a) não voltou para agradecer?

A Deus Toda Honra e Toda Glória.
Quebrando Pedras e Plantando Flores.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

A melhor resposta é o amor.


“Responder uma ofensa com outra é o mesmo que tentar lavar uma sujeira com lama."

A única coisa que pode impressionar e com isso fazer com que as coisas tomem outro rumo é o outro saber que você jamais faria com ele a maldade que ele esta fazendo com você.

Olho por olho, dente por dente, nunca trouxe qualquer resultado satisfatório para qualquer uma das partes.
Dizem que a vingança é um prato que se como frio, e eu poderia acrescentar que além de frio também é servido estragado, o que certamente fará muito mau a quem dele se servir, assim como o perfume fica nas mãos de quem manipula as rosas, assim também o sangue nas mãos dos que se vingam.

Manter-se superior, não se deixando contaminar pelo ódio ou pela maldade, isso não por orgulho, mas por amor, porque o amor ainda é “água” que lava toda e qualquer sujeira, sem deixar manchas ou marcas.

Uma resposta encharcada de amor revigora a semente do entendimento, frutifica a árvore e sara as ferida feitas por galhos que se quebraram com o passar do tempo.

-Abimael Alves.
Quebrando Pedras e Plantando FloreS

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O amor não trata com leviandade.



Na boca de muito hoje Deus esta sendo tratado com leviandade, com insensatez, com falta de seriedade. 

As escrituras afirmam que Deus é amor, porquanto sé tratarmos o amor com leviandade, estaremos indiretamente tratando Deus da mesma forma.

Fala-se de Deus e de Amor, como se fala de um objeto qualquer ou de algo sem valor algum.
Fácil ouvir alguém falando que ama a Deus, mas tem amor, não tem paz com o seu próximo, não obedece a sua palavra e nem da atenção a sua voz, isso é tratar Deus com leviandade.
Ouvem-se pessoas dizendo que amam, mas essas mesmas pessoas traem, planejam o mal, apunhalam pelas costas, encurtam os braços na hora de ajudar, isso é tratar o amor com leviandade.

Houve um tempo em que os Escribas que eram os escritores dos pergaminhos que continham a Palavra de Deus, que todas as vezes que iam escrever o nome de Deus, eles paravam e iam lavar as mãos e se purificarem para não pecarem contra Deus.

Oxalá nós lavássemos nossa boca e purificássemos o nosso coração todas as vezes que fossemos falar do AMOR.

A Deus toda a honra e toda a glória.
Quebrando Pedras e Plantando Flores.